sexta-feira, 27 de março de 2015

“Só prometemos o que poderemos cumprir”

O Movimento Juntos Pelo Povo esteve, esta manhã, em várias ações de contacto porta-a-porta nas freguesias do Funchal, onde teve a oportunidade de passar, uma vez mais, uma mensagem de confiança e de esperança à população.


“As nossas propostas – a auditoria às contas da Região, a eliminação dos privilégios dos deputados, a criação de um fundo de emergência social e de um gabinete móvel para o apoio à população das zonas altas, demais concelhos e ilha do Porto Santo – assentam num exercício de responsabilidade e de ação, que tem como princípio prometer aquilo que se poderá fazer e concretizar”, afirmou Élvio Sousa.

Numa espécie de balanço final, o cabeça de lista do Movimento do Povo mostrou-se satisfeito pelo facto do JPP ter realizado a sua campanha com respeito pelos adversários, com base na discussão de ideias (em detrimento dos ataques pessoais) e apresentação de um programa e propostas válidas para a RAM.


Élvio Sousa explicou, igualmente, aos cidadãos que uma das características mais sólidas do Movimento reside na sua perseverança. “O modelo de ação do JPP requer um processo de amadurecimento natural e duradouro. Tudo o que é processo artificial acaba por se estragar depressa. O JPP trás credibilidade, seriedade e agitação democrática”, disse o candidato.

Numa nota final, e em nome de toda a equipa do Movimento, Élvio Sousa aproveitou para agradecer a simpatia dos cidadãos madeirenses e portosantenses, pela “forma carinhosa e acolhedora com que acolheu os candidatos do JPP”. E acrescentou: “Dia 29 de março é uma data histórica para o povo madeirense, uma data antecipada, que foi escolhida a dedo por um governo PSD que se demitiu das suas responsabilidades. Está na hora de concretizar uma democracia, sem maiorias, e com um equilíbrio entre a classe política tradicional e os novos agentes do Povo”.

Sem comentários :

Publicar um comentário